/SOUGAY

/SOUGAY

Gay. Post por post.

You can scroll the shelf using and keys

Sou o que sou, escondendo quem sou.

22/09/2010 , , , ,

Acabei de ler um post muito bom, neste blog, do “blogayro” Gui Sant’Anna. E resolvi digitar algumas palavras, também.

Era manhã de 15 de fevereiro de 2010. Após um breve sono de 4 horas, acordei, com cara de cabo de vassoura e fui beber água. Enquanto entornava o copo de vidro, e observava a persiana prateada da cozinha, me acendeu uma ideia.”Vou fazer um blog”.

Na madrugada anterior, havia ido, pela primeira vez, a uma boate gay. Estava com os nervos em ebulição. Não podia dividir nada, com ninguém. Então, o blog seria a solução. E foi.

Quis fazer tudo no anonimato. Não me sentia (e ainda não me sinto) seguro o bastante para escancarar ao mundo a minha homossexualidade. Embora meus pais, meus irmãos, alguns parentes próximos e alguns amigos já saibam disso, tenho um profundo receio de ser repreendido, por qualquer que seja, em razão da minha preferência sexual.

Ainda, me identificando, talvez não tivesse a coragem de dizer certas coisas, aqui no blog. Não poderia desabafar, dividir sofrimentos e alegrias, expor ideias… o “SouGay” perderia a sua função, de servir como uma válvula de escape.

Quase todos os blogayros que sigo (confira os links na barra lateral, na área “Vale A Pena Dar Uma Olhada”) não têm o receio de mostrar quem de fato são, em especial o Joe, do dearbenin.blogspot.com, e o Guilherme, citado no início deste post. E eu os admiro muito por isso. Além de serem autores de blogs extraordinários, tiveram a coragem de mostrar aquilo que eu tento esconder do maior número possível de pessoas. Aproveitando-me da opinião do Guilherme, acho que eles não assumiram nada, afinal, não é crime ser gay. Apenas mostraram uma das inúmeras facetas que têm.

Contudo, ainda reluto para mostrar essa minha faceta. Mas, pelo menos, aos poucos, estou me soltando. Na página “Sobre Quem Escreve Esta Coisa”, já fiz inúmeras modificações, e expus mais informações sobre mim. Já se sabe, por exemplo, que tenho 22 anos, nasci e moro numa cidade do interior do Paraná, estudo Direito numa faculdade pública dessa mesma cidade… apenas pistas… e, quem já me conhece, vai juntá-las e montar o meu retrato.

Quando me sentir mais seguro, e conquistar minha total independência, talvez, tenha a coragem suficiente para mostrar ao mundo quem de fato escreve esta coisa. Não tenho ideia de quando isso poderá acontecer. Mas, quando acontecer, certamente, estarei mais feliz e bem resolvido.

Enquanto isso, a você que tem a paciência de ler o que escrevo aqui, ficam os meus sinceros agradecimentos, e desculpas também, por ainda não ter revelado quem realmente sou. Vai imaginando meu rosto. Mas não vá exagerar na positividade. Há grandes chances de você se decepcionar… rsrsrs.

Eu sou como sou. Meio escondido. Mas sou.

Gay.

Advertisements

Nem pense em sair daqui, sem comentar!

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Acredito que, independente da opção sexual, é melhor manter teu anonimato, pois neste blog você expõe temas muito íntimos. Dessa forma, você continua vivendo normalmente e ao mesmo tempo se sente livre para compartilhar qualquer tipo de ideia, sem se preocupar com o grau de intimidade da questão.

Tar

22/09/2010

Mais uma vez… concordo contigo! Valeu, Tar!

SG

23/09/2010

Mas isso é muito normal. Sabe quantos blogs eu tive até chegar neste From Joe? Eu blog desde 2002, que inclusive foi o ano em que me assumi. Foram quatro blogs em que eu escrevia coisas do fundo da minha cabeça, até chegar nesta segunda versão do From Joe (o Dear Benin). E só nesta última eu resolvi mostrar meu rosto. É como a vida, a gente amadurece, mas primeiro tem que dar os primeiros passos.
Quando eu me assumi pra minha mãe, de início achei que me assumir pra qualquer outra pessoa seria a coisa mais fácil do mundo, porque agora não tinha barreiras pra eu acreditar na pessoa que eu realmente era, e pra mostrar isso às outras pessoas. Mas nem sempre era tão fácil, em várias situações eu tinha a oportunidade certa, a palavra na ponta da língua, mas a frase não saía. Medo da reação das pessoas que realmente importavam não ser como eu esperava. Com o passar do tempo, consegui contar pra todos os meus amigos, pra todas as pessoas queridas. Até as pessoas mais avulsas já sabem – na minha faculdade mesmo, não faço mais questão de esconder, todo mundo sabe. A minha família inteira praticamente – tios e tias, primos e primas, etc – já sabe (não que eu tenha contado pessoalmente, porque até evito contato), mas a verdade é que hoje sou mais seguro acerca de quem eu sou, e me torno ainda mais seguro a cada dia. E ainda assim você pensa que os medos todos se foram? Pois te digo: sabe o BB, o tal fantasma do passado que eu tenho citado no blog? É o único amigo que me resta pra contar. Agora que eu o reencontrei, sinto que este momento está chegando, e já estou ATERRORIZADO só de imaginar. E é assim.
A questão é: não existe uma regra. Não existe isso de desapontar quem lê seu blog, até porque eu não leio blogs gays procurando a cara do povo. Eu leio pelo conteúdo. Mostrar a cara apenas ajuda num processo que eu, particularmente acho muito bacana, que é o de imaginar o interlocutor. Eu tenho essa mania, como disse essa semana quando linkei a entrevista do Wans. Eu gosto de ficar imaginando as pessoas que conheço pela internet, e qualquer detalhe extra, como uma foto, ou ouvir a voz, só é uma peça a mais que eu monto nesse quebra-cabeça mental. Só isso, a grande diferença mesmo é pra você, o grande impacto ocorre com a pessoa que se mostra, que se expõe, porque aí então tudo diz respeito a esse momento em que ela enfim se sente à vontade, livre, preparada e amadurecida a ponto de se deixar à mostra (mais ainda).
Desde que abri meu blog, dois anos atrás, meu layout é aquele. Quem vê desde o começo pode achar que de cara já cheguei assim dando a cara a tapa, mas existe esse contexto que eu te contei. Foram 6 anos e 4 blogs até chegar a este atual. E então eu dei inicio ao Dear Benin assim, com minha cara estampada na capa, porque pra mim, finalmente era a hora, e era importante que fosse feito assim, pelo próprio propósito do blog, pelo que eu buscava nessa experiencia como um todo.
Ok?
Fica tranquilo, que vai tudo rolando no seu tempo.
E eu continuo te acompanhando, gosto da sinceridade bonita dos seus textos. E quando você, um dia, quiser mostrar seu rosto, e se sentir bem assim, eu quero poder vir aqui, nesta mesma caixinha de comentários, e te dizer “Que ótimo, fico contente por você!”.
Se cuida, preciso ir dormir. hehe

Ah, reparei na barrinha ao lado que você colocou meu blog com a descrição “interessante e inspirador”. Pena que você não pode ver meu sorrisão ao ler isso, mas é mais ou menos deste tamanho:

\__________________________________________________/

Brigadão, muito bacana da sua parte. Que bom que toda essa bagunça que eu posto organizada com marcadores inspira um ou outro.

Agora sim, deixa eu ir dormir.
Abraço,

[j]

Joe

23/09/2010

Sim, tudo isso é um processo bem complicado, e tem o seu tempo certo…

Fico muito grato pelos elogios. Não preciso dizer nada sobre a inspiração toda que tenho, né?

E, a propósito, também abri um sorrisão, ao ler teu comentário.

Forte abraço!

SG

23/09/2010

Que bom!

Agora, como eu sou todo um abuso, né? Meu comentário é do tamanho do teu post! queria até jogar os dois no Word pra contar o número de palavras, mas tenho medo do que posso descobrir. Quando eu to inspirado, eu falo pra caramba.
Vamos nessa, trocando historias.

[j]

Joe

23/09/2010

Huhauhauhau! O meu post tem 464 palavras, e o seu comentário, 677! Nem parece o Joe dos posts que dizem tudo, sem quase nenhuma palavra!

Mas pode comentar o tanto que bem entender. Lerei com todo o carinho. Quanto mais, melhor!

SG

23/09/2010

Hehehe credo!
Pode deixar. Vou chegar abusando.
abraço

[j]

Joe

23/09/2010

É tudo uma questão de amadurecimento. Alguns vem mais rápido, outros, demoram mais. Mas sempre chega.

Quando o seu momento chegar, a gente vai tá aqui. Pra te apoiar no que for preciso, ok?

Abração!

Gui Sant'Anna

26/09/2010

Valeu, cara. Vou precisar!

SG

26/09/2010

Identificação.

Celso

28/12/2010