/SOUGAY

/SOUGAY

Gay. Post por post.

You can scroll the shelf using and keys

Que alívio!

04/12/2010 , , , ,

Ontem, tirei duas toneladas das costas: defendi a minha monografia. Que alívio!

Passei a semana toda preparando a apresentação, anotando partes importantes, fazendo slides no Power Point, treinando a oratória, cronometrando o discurso… nem fui malhar, muito menos pedalar ou correr no parque. As duas toneladas pesavam muito!

Ontem, acordei às seis e meia. Liguei o computador e dei uma última passada nos slides. Abri o notebook, transferi o arquivo com um pen drive, peguei minha cópia da monografia, fechei o note, o coloquei na bolsa, e fui pra faculdade, às sete e meia.

Assisti a defesa de uma amiga. Depois, fui ver se a composição da minha banca continuava a original. E adivinha quem estava escalado? Meu digníssimo professor de Direito Internacional (aquele que deu uma monografia para ser feita em 1 mês). “Ih, agora fodeu!” – pensei.

Eu era o último a me apresentar. A ansiedade me comia por dentro. Mas, enfim, o momento chegou. O momento que marcava o fim de uma etapa da minha vida. Entrei na sala. Cumprimentei os membros da banca e a “plateia” composta pelos meus amigos. Abri a apresentação de slides e iniciei a defesa.

Os primeiros dois minutos foram difíceis. Minha mão tremia, tal qual minha voz. Mas aí, fui relaxando, e consegui fazer uma razoável apresentação. Terminada a defesa, algumas perguntas respondidas, saí da sala, para que os membros da banca pudessem arbitrar uma nota.

Mais ansiedade, durante os intermináveis 15 minutos de espera.

A porta da sala se abriu, e um dos professores me chamou. Eu de pé, minha orientadora foi quem me deu a notícia:

– Bom, SG, nós, após discutirmos acerca do seu trabalho, entramos num consenso sobre a sua nota, e ela, então, é 9,5. Ah, e quero levar o seu trabalho para ser publicado pelo Mestrado, como um artigo. Te mando um e-mail na semana que vem, para acertarmos os detalhes, OK?

Abri um sorrisão enorme (igual aquele pelo qual minha mãe me disse que estava todo enrugado), agradeci à banca, à minha orientadora, até tirei foto. Senti um alívio imediato, e uma sensação de realização.

E tudo correu espontaneamente. Todos os meus pensamentos ansiosos, antes da defesa, simplesmente sumiram no desenrolar da apresentação. Apenas fui falando, apontando, apertando a seta direita do teclado do computador… e então, tudo deu certo.

Considerando que este ano foi, sem dúvidas, o mais complicado de todos os meus 22, e considerando o tanto de estresse e desespero que senti por causa dessa monografia, vi que meus esforços realmente valeram a pena.

No momento em que vi os sorrisos dos três professores da banca, e no momento em que sorri também, nada me importou. Havia esquecido dos meus problemas na família. Da dor de cotovelo do meu namoro, mesmo que por um instante. Me senti leve. Me senti livre.

Agora, só falta a última prova do honradíssimo (e agora, sem sarcasmo) professor de Direito Internacional.

Depois, merecidas férias na praia!

Advertisements

Nem pense em sair daqui, sem comentar!

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Só tenho que te dar PARABÉNS por tudo isso!
É incrível como saímos aliviados e como ficamos com um sorriso meio bobo depois que pesos assim saem das nossas costas… rsrs.

Beijo!

Três Egos

04/12/2010

PARABÉNS!

garoto do interior

04/12/2010

Bravo SG! Estou muito contente que tudo tenha dado certo! Agora é curtir as férias em alto estilo: fazer nada! Adoro! hahaha Bjões e fique bem!

Tar

04/12/2010

Já passei por isso, com 17 anos, e foi muito tenso.

Fico feliz de saber você foi tão capaz quanto pode ser, confiando em você mesmo.

Parabéns, SG!

beijão

Gui

04/12/2010

Nossa cara… PARABÉNS!!! Eu imagino o qunto você deve ter ficado tenso… E olha cara, sua mono deve ter sito muito foda mesmo, pelo visto os seus professores gostaram 😀
E olha que você não está satisfeito com a carreira que escolheu, imagina se estivesse??? Parabéns, não só pelo sucesso, mas também pelo esforço!!

Abração cara, Até o próximo post

Júlio César Vanelis

04/12/2010

Nossa, que inveja de você que terminou o percurso com 22 anos. Eu estou com 18, todo fodido na Universidade (no mau sentido), enfrentando já aquele que você diz ter sido o ano mais difícil da vida…
Gente, mas eu quero tanto que 2011 seja um ano melhor… Eu li um texto super inspirador – Devo fazer faculdade? – numa das minhas pesquisas randoms pelo Google… leiam também! Muito motivador o texto, toda vez que eu me deparar com uma lista enorme de exercícios de Cálculo pra fazer e sentir desânimo eu vou ler esse texto.
Link:
http://www.akitaonrails.com/2009/04/17/off-topic-devo-fazer-faculdade

Abraços!

Thiago

04/12/2010

Parabéns kra, até imagino a ansiedade q tu sofreu e como deve ter ficado orgulhoso do resultado q tu obteve…
Ano q vem é meu TCC, prefiro nao pensar muito nisso para evitar sofrer com antecipação….
Grd abç

Ro Fers

05/12/2010

Parabéns, SG! Já passei por isso e sei como é todo esse processo de ansiedade, depois relaxamento, depois felicidade. Que venham as próximas etapas!

Beijooo!

inconstanteblog

05/12/2010