/SOUGAY

/SOUGAY

Gay. Post por post.

You can scroll the shelf using and keys

Sakura, sakura…

09/12/2010 ,

A música a seguir baseou-se na história real de uma garota de 16 anos chamada Yaoya Oshichi.

Em 1682, a casa da família fora destruída por um incêndio. Enquanto era reconstruída, moraram em um templo. Nesse período, Yaoya apaixonou-se por um garoto que lá trabalhava. Mas, terminada a reconstrução, tiveram de se separar.

Na desesperada tentativa de ver o garoto novamente, Yaoya tentou atear fogo em sua própria casa. Mas tinha sido pega. Naquela época, esse tipo de crime ensejava pena de morte, na fogueira. O juiz, sensibilizado, até tentou livrá-la da morte, dizendo: “Você tem 15 anos, não é?” Pessoas com 15 anos ou menos não poderiam ser condenadas à pena de morte.

Entretanto, Yaoya disse a verdade. E foi queimada. Em 1683.

O local da execução da pena era repleta de cerejeiras floridas, e a música procura demonstrar esse cenário. O início da canção fala sobre o espírito de Yaoya, no local da sua morte, por entre as cerejeiras e as flores que caíam, à espera do reencontro com o seu amado.

Confira a música, com legendas em inglês.

Advertisements

Nem pense em sair daqui, sem comentar!

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Muito legal essa versão, apesar de preferir aquelas bem mais tradicionais acompanhadas pelo shamisen ou por aquele outro instrumento com o timbre bem parecido. Acho que até combina mais com a tema abordado na música. Nossa! E a geisha é um cara o.O
Ele dançou tão bem que não percebi que era um homem disfarçado! Safadinho… hahahaha Enfim, adoro essas coisas tradicionais! ahahah Bjos

Tar

09/12/2010

Essas histórias tradicionais seriam sempre bonitas, não fosse eu a imaginar o lado orgânico da coisa – um corpo sendo carbonizado… ai que lindo! Pode perceber, toda história mais antiga sempre tem um lado mais obscuro que a maioria das pessoas releva…

Thiago

09/12/2010

Nossa, que história triste… Remete muito a essas histórias Japonesas mesmo.
Mudando de assunto, agora você me fez me lembrar dos mangás que eu lia no ensino médio… Morro de saudades!!!

Um beijão cara… Até o próximo

Júlio César Vanelis

11/12/2010