/SOUGAY

/SOUGAY

Gay. Post por post.

You can scroll the shelf using and keys

Brega.

04/03/2011

Admito: eu sou romântico. Da maneira mais brega que você possa imaginar.

E eu não estou muito satisfeito com isso.

Eu fico abismado em como tem gente que consegue curtir. Pegar. “Ah, vou pegar ele”.  Trocam olhares, se aproximam… uma conversinha no ouvido, uma risadinha… e pá! Estão lá os dois num beijaço.

Não gostei muito das últimas vezes em que me fiz de safadinho. Foram situações pontuais e, vistas sob um olhar mais específico, agradáveis, até. Mas, e depois? O que acontece? E o resto? Nada. Não há mais nada. E esse vazio eu não consigo suprir com outras incontáveis situações pontuais.

Talvez seja pela minha timidez. Ou pela minha criação provinciana. A verdade é que não consigo, simplesmente, ir lá (ou deixar que venham), abraçar, tal, colar o corpo e… chupar a língua do outro, assim. Simples assim. Inofensivamente assim.

Parece que os micareteiros pegadores são mais felizes, sabe? Do tipo “propaganda de pasta de dente”. “Oba! Este sábado promete!”  Sempre estão acompanhados. Sempre estão beijando. Trepando. E eu, romântico inconsertável, fico sozinho na esmagadora maior parte do tempo. Sem beijar. Trepando, só se for pelas paredes.

É uma coisa que está enraizada de tal maneira, que é impossível retirá-la. Faz parte da minha natureza. Sou desse jeito e pronto. Brega. Antiquado. Formalista. Não tenho o que fazer para pensar diferente.

E, quando faço diferente, você já sabe. Me bate aquele arrependimento.

Acho que, além de amor, o que me falta é maturidade.

Advertisements

Nem pense em sair daqui, sem comentar!

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Isso não é ser brega…romantismo é uma característica extremamente rara e necessária no mundo. Ponto para nós q somos!
Bjos!

Jean Borges

04/03/2011

Uhuull! Bate aqui! ol

SG

04/03/2011

Admito, não sou nada romântico. Na verdade, sou o exato oposto: um cavalo. O que não quer dizer que seja pegador: apenas que não sou muito sensível ao sentimento alheio XD.

Beijo SG!

Lobo

04/03/2011

Ah… Lobo, mas há de chegar o dia em que algum cavaleiro irá te domar! E, quando chegar, aposto que mansinho, mansinho, você ficará! Huahuahuaha!

Beijão!

SG

04/03/2011

Acho que é uma questão de fases, talvez você só precise se jogar devagar. Vai no seu tempo.

Eu já nasci meio jogado então é meio hard pra mim entender isso, but, acho que todo mundo tem seu lado devassa.

HAHAHAHAHAHA

Gui

04/03/2011

Huahuahauhauhauahuahua!

SG

04/03/2011

Você não é imaturo, apenas é do seu jeito. Uma coisa é ser romântico, não há motivos para se preocupar, pois há vários outros românticos vivendo por aí no mundo. O problema é quando você é igual a mim – um ser quase assexuado (no sentido de não exercer a sexualidade). Aí, meu filho… Só Jesus mesmo.
Bacio!

Thiago

04/03/2011

Tem razão, Thiago! Nessa secura toda, só Jesus mesmo!

Temos saída?

Altro bacio per voi!

SG

04/03/2011

Querido, seu post é uma graça.
Não entendo porquê quando leio seus post me vejo como que no espelho, vivenciando isso a tal ponto de tornar-se tão palpável aqui em belém, no Pará. É isso mesmo, é de onde escrevo.

Colar, cansar de colar, talvez seja para aqueles que não sabem, ou sabem, ver as coisas com tanta velocidade no que diz respeito às relações humanas. Talvez, eu tenha vivido o passado, ou vivo. Nem sei ao certo. O fato é que vivo, ou vivi, pensando que o encontrarei, ou o encontrei em algum momento. Até hoje o idealizo, mas não coma ingenuidade de um adolescente, mas com a realidade de um adulto.

Se isso for viver no passado. Vamos lá. Eu também sou um eterno Lord, Gentleman, ou como queriam conceituar todos aqueles que sempre vivem, ou viveram, ou se perderam no tempo de uma realidade nem tanto assim distante.

Admiro muito seu Blog e sua Pessoa.
Abraços,

Will.
Belém-PA

Will

04/03/2011

Olá, Will!

Nossa! Belém! Tão longe!

Eu também fico a pensar que estou meio atrasado, perante os outros. Enquanto eles estão aí, vivendo suas aventuras, fico aqui, vivendo as minhas nem tão emocionantes experiências. Enfim. O que não dá é ser o que não sou, certo?

Fico muito grato por seus elogios. Atitude digna de um gentleman, a sua!

Um grande abraço!

SG

04/03/2011

Own…

Amei sua resposta dada á minha resposta… redundâncias a parte de “respostas”, adoro sim seu Blog. Já o li algumas vezes, mas sempre tive receio ou vergonha de comentar seus posts. Achava que não estava a altura para fazê-lo.

Bom, tomei coragem e escrevi.
Garoto, adoro mesmo seu Blog. me faz sentir tão bem comigo, com a vida, com o sujeito que é o Will, em fase de construção sempre, principalmente, quando encontro pessoas “reais” ou “virtuais”, que me fazem querer ser o melhor namorado, marido, ou simplesmente o melhor solteiro, amigo do mundo.

Obrigado por ser minha inspiração através de seu Blog.

Boa viagem de carnaval Querido…
Bjão…

Ah! Jamais poderia esquecer: o Gentleman aqui é Você…

Abração!

Will

05/03/2011

Posso falar, cara?? Eu sou muito critico com relação a isso… Eu já tentei ser pegador e não consegui: não sei se porque não sou tão bonito, ou pq não tenho lábia, ou pq não gosto meio da ideia tbm. Eu cheguei a ter esse momento, assim como você, mas sinceramente não gostei. Na hora é legal, mas depois você se sente vazio. Quem vai ligar pra você no dia seguinte? Quem vai pra casa com você para tomarem um café da manhã juntos?? Quem vai no cinema com vocÊ??? Não vai, cara… E só vazio, é banalizar o beijo, o sexo. Pra mim essas coisas são muito complicadas, sabe: É como se você mostrasse um lado seu não mostraria para ninguém, é uma coisa importante, e para o outro não vai significar absolutamebnte nada, apenas um arrepio provocado pelo beijo, ou um orgasmo provocado pelo sexo. Não sei como os pegadores lidam com isso, eu acho que nunca vou lidar. Ser romantico não é ser brega, é se valorizar, e valorizar aquele que você gosta. E eu assumo, com um romantico clássico, incurável, quase tendendo para o mromantismo feminino (se é que isso existe, e se você me entende)… hahahahahhahahahahhahahhaha

Enfim, desabafei aqui… hahahahahahaha
Um abraço, SG… Continue assim, romantico… Você não está em desvantagem por causa disso…

Até o próximo

Júlio César Vanelis

05/03/2011

talvez seja falta de maturidade, mas essa daí só vem com 2 coisas: o tempo e a experiência.

tambem me achava um romantico incorrigível, nos meus tempos de adolescente, quando so provava de amor platônico, e meus beijos eram todos de imaginação.
cresci e desaprendi. diante da minha realidade específica, reconheci o que eu podia ter e o que eu podia oferecer, e abri mão de sonhar pra ir viver alguma coisa que eu pudesse chamar de “eu fiz, eu vivi”. claro, isso é o meu caso.
mas apenas te digo que nao se sinta mal, uma hora voce vai achar uma solução. seja um novo comportamento, seja um novo amor que te acalente a alma.
ok?

[j]

Joe

08/03/2011