/SOUGAY

/SOUGAY

Gay. Post por post.

You can scroll the shelf using and keys

Tô tentando!

28/03/2011

Parte III – A pipa do vovô não sobe mais.

Confirmei que as sexólogas realmente entendem de sexo. Quando a mente não está relaxada, não adianta. O amigo lá de baixo não sobe. Até pensei que, quando realmente iniciássemos, eu iria relaxar e começar a gostar. No entanto… tentamos várias posições. Nada deu certo. Jô parecia estar gostando mais. E eu, ali, tenso. E murcho.

– Não consigo… vamos parar?

– Uhum… tudo bem…

– Me desculpa. Mas é que não consigo relaxar. Tudo tem acontecido muito rápido. Eu sei que fui eu que aceitei o convite. Mas… não sei. Apenas não rola…

– Tudo bem, cara. Todo mundo… brocha. Somos homens, afinal!

– Aiai. É complicado isso. Eu estava, realmente, afim de você. Mas é que eu travo, quando as coisas acontecem assim, tão rápido. Nos conhecemos ainda hoje, e olha onde estamos: pelados, abraçados numa cama de motel…

– Olha, pra ser sincero contigo… eu nem vim pra cá com essa intenção.

– Como assim? E o que é que as pessoas fazem num motel?

– Sim, claro. Eu sei. Óbvio que não queria apenas conversar com você. Mas aqui seria um lugar tranquilo e seguro pra gente ficar se beijando, tal, além de conversarmos. Melhor do que ficar no carro, no meio da rua ou num estacionamento por aí, não?

– Hum… mas agora, isso não importa… eu quis, mesmo, transar contigo.

– Só que… você não sentiu tesão por mim… mas, tudo bem. Normal, isso.

É verdade. Não senti. Mas não porque ele não era atraente. Muito pelo contrário.

– Eu sou complicado com essas coisas. Não funciono assim, repentinamente. Enfim. Tudo foi rápido demais…

– Fica tranquilo… essas coisas acontecem. Embora não tenhamos gozado, gostei bastante de ficar contigo.

Tudo isso resume-se no seguinte: para mim, o tesão começa pela conexão, e não pela aparência física isolada.

Jô me levou pra casa. Sempre carinhoso. Com a mão direita sobre a minha coxa esquerda. Fiquei afagando o seu antebraço. Mas o clima não estava tão leve.

Despedi-me. Ele voltou para sua cidade.

Dormi, enfim, mais ou menos tranquilo. Fiz o que quis fazer. E não fiz o que não quis fazer (ou melhor, o que não deu para ser feito). Deixei que tudo ocorresse naturalmente. Passei, de maneira geral, momentos bons. E que, felizmente deixaram aquele gostinho de quero mais, apesar dos apesares.

Estou muito mais cauteloso, desta vez. E quanto ao relaxamento, sei que não dá para forçá-lo. Posso ter agido por impulso. Esse é um dos meus vários defeitos. Mas não me arrependo.

Vamos ver o que acontece.

Advertisements

Nem pense em sair daqui, sem comentar!

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Que bom q ele foi compreensivo com você! Fazer algo que não se quer é horrível! Bjo!!!

Jean Borges

28/03/2011

Cordei kd viagra

Gui

28/03/2011

Ainda mais sexo por sexo por alguém que temos um principio de conhecimento, passei quase a msma história que vc no caso el enamorado e te confesso o sexo nuca mais foi o msmo,com ele era bem mais que sexo uma conexão inexplicavel, com outras pessoas que conheci uma coisa totalmente incompleta em algumas questões mais com o tempo td volta ao seu estágio inicial e lá vamos nós começar novamente…

Gabriel

28/03/2011

VC é praticamente o Jack McFee, de Dawson’s Creek 😛
Pensei que só ele e, mesmo assim, só na série, seria assim. rs

Enfim, cada um sabe como funciona, né?
Hehehe

Autor

28/03/2011

Huahuahua! Muito generosa a analogia.

SG

28/03/2011

Eu te entendo muito bem.

Tbm prefiro o sexo quando existe alguma intenção maior por trás… sem trocadilhos, por favor! hahahaha

Sério, acho que o sexo pelo sexo é até legal, afinal cada um sabe o quanto lhe aperta os desejos. Mas o sexo com alguém que vc admira por algo além do físico, ah, é tão melhor! E, a mim me parece, bem mais raro também…

Xêro!

in.Constante

28/03/2011

Huahuahua! Inevitável desconsiderar o trocadilho!

SG

29/03/2011

Legal ele ter sido legal e compreensivo. Tesão é uma coisa estranha … para uns é algo assim completamente instintivo (Nudez + Sarro = Excitação), para outros é algo tão mais sentimental e emocional … (Confiança + Relaxamento = envolvimento) … Sinceramente não sei o que desejar … Mas que tudo dê certo …

BSvoxx

28/03/2011

Temço. Não gostaria de estar nessa situação. Mas eu, pessoalmente, acho motel uma coisa broxante. Ir num lugar “pra fazer aquilo” coloca muita pressão desnecessária dentro da cabeça. É prefirível fazer no meio da rua do que num motel – no meu ponto de vista.

Thiago

29/03/2011

Hahahahah! Boa, Thiago. Boa.

SG

29/03/2011

Queridão,

Você é como eu, age por impulso, ou por intuições. Nem sempre uma ou outra darão certo, definitvamente. Mas, sabe?!
Qual a graça de redescobrir a vida quando não se tem contato com situações que nos fazer ter uma nova posição sobre aquilo que consideramos e, que muitas vezes, nos perduram como verdades absolutas?

As novas descobertas estão aí. Prontas a nos abraçar.
Espero que Você tenha conhecido mais a si mesmo nessa experiência.
Posso dizer-lhe que o Will, daqui de Belém torce infinitamente por Você, meu Caro…
Mantenhamos contato, ok?! Qualquer coisa, meu e-mail está a disposição…

Abraço enorme!

Will

29/03/2011

sou assim tmb, nao relaxo nunca e ai a coisa nao flui. comigo é assim to-da-vez. sério. acho que somos normais, sabia?
mas que bom que vc fez o que quis, nao se arrepende, foi feliz. o foda agora é isso da distância. mas vamos em frente, o show nao pode parar.

[j]

Joe

29/03/2011